quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Espelho


Luciana Pimenta

Eu não tinha estes olhos artesianos
Este aeroporto de palavras
E este mapa de esperanças vestidas
Que supostamente me conduz

Eu não tinha estas ágoras oitivas
Esta boca assim tão noturna
E esta trama caudalosa de meadas
Do rio que me banha e me desagua

Eu não tinha este rosto quase calmo
Este semblante quase límpido
E esta quase lucidez do retrato
Tão certo, tão simples, hoje anunciado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário