sábado, 9 de setembro de 2017

Por um tempo...


Rodolfo Pamplona Filho

Por um tempo, hesitei em escrever.
Por um tempo, só pensarei em você.
Por um tempo, chorarei solitário pelos cantos.
Por um tempo, não verei os seus encantos.
Por um tempo, não farei vídeos de bom dia.
Por um tempo, sentirei a casa vazia.
Por um tempo, não haverá memes com Mateus.
Por um tempo, não terei os olhos seus.
Por um tempo, estarei somente à distância.
Por um tempo, lembrarei da sua infância.
Por um tempo, vou me olhar sozinho.
Por um tempo, ficarei sem seus gritinhos.
Por um tempo, estarei somente aqui
na torcida por você ser sempre feliz.


Salvador, 02 de setembro de 2017, dia do embarque de Marina para o intercâmbio no Canadá.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

A AUSENTE



Vinicius de Moraes

Amiga, infinitamente amiga
Em algum lugar teu coração bate por mim
Em algum lugar teus olhos se fecham à ideia dos meus.
Em algum lugar tuas mãos se crispam, teus seios
Se enchem de leite, tu desfaleces e caminhas
Como que cega ao meu encontro...
Amiga, última doçura
A tranqüilidade suavizou a minha pele
E os meus cabelos. Só meu ventre
Te espera, cheio de raízes e de sombras.
Vem, amiga
Minha nudez é absoluta
Meus olhos são espelhos para o teu desejo
E meu peito é tábua de suplícios
Vem. Meus músculos estão doces para os teus dentes
E áspera é minha barba. Vem mergulhar em mim
Como no mar, vem nadar em mim como no mar
Vem te afogar em mim, amiga minha
Em mim como no mar...

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A Trilha da Vida



Rodolfo Pamplona Filho

Ter o privilégio
de ver os ipês amarelos
e a linha de sedimentação
na beleza do paredão.
Renovar a energia
no banho de água fria
na imersão da natureza
na busca da certeza
de que há mais a se viver...
Ter a alma aventureira
no banho de cachoeira
permite encontrar
um sentido para lutar...
O apoio do cajado
ou a firmeza do braço dado
ajudam a enfrentar
cada passo a tomar...
Nem sempre dá
para andar e falar,
mas é preciso aproveitar
a passagem
e a paisagem,
sob pena de perder
o mirante
e o mágico instante
de ver o por do sol...
É possível ir a todos os pontos,
mas nem todos têm fácil acesso!
É preciso saber o momento
de poder seguir adiante!
É vital tomar a decisão
do que se fazer no presente,
com olhos no futuro,
sem vergonha do passado.
Quem é bom em uma coisa
pode não ser em outra
e até o mais fraco
pode ter algo a colaborar.
Nem todos reagem da mesma forma
no correr da sua rota,
no receio das subidas
e no medo das descidas
na trilha de sua própria vida:
na empolgação dos animados,
na desilusão dos fracassados
e na inércia dos acovardados
de quem veio à vida
e não descobriu o que fazer.
Mas o rio segue seu curso
até encontrar o seu destino...

Chapada dos Guimarães, 19 de agosto de 2017.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Encontro



Joana Ferraz

Desde a primeira vez que ganhei aquele abraço, eu sabia. Sabia que iria precisar dele mais vezes, que sentiria de longe a lembrança do momento me encostando.  Foi na varanda, ao vento das árvores grandes que cercam o primeiro rio. O rio que por causa dele estou aqui, estávamos ali. E há muito imaginava o momento, pintando cenas no corpo do desejo. Quais cores fariam presença? Espiei o quarto, vi as telas, achei estranhas. Ou não entendi muito bem. Deve ser porque o sorriso doce também traz confusão. “Agora te conheço mais”.  Depois as mãos pesadas me seguraram as costas e o abraço tocou todas as partes do meu corpo. Era como se estivesse em uma torre cercada de lua e de nada, onde ao longe eu via a mesma cena comum das minhas janelas.  Minha cidade então se transformou num sítio gigante, vazio e afastado, porque o beijo era bom. Porque a língua brincou nas esquinas da minha boca e a vontade reencontrou as florestas que já existiram.

O vestido solto só podia ser de propósito, a roupa desses encontros são as peles.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Deserto


Rodolfo Pamplona Filho


Minha vida se torna um deserto,
se não consigo estar com você...
Por dentro, impera o tédio
e eu sofro por não poder...
... te amar
... te abraçar
... te lançar contra a parede
... e até chamar para brigar...

Agora, eu me valeria de tudo, amado,
para poder estar em seus braços,
sentir todo seu cuidado
e me deleitar nos seu afagos...
E a febre, com certeza, subiria,
mas, não, pela doença instalada,
e, sim, pelo ardor que se cultiva
dessas nossas vidas separadas....

Salvador, 25 de outubro de 2010.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Poeminha do Contra



Mário Quintana 
Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

domingo, 3 de setembro de 2017

Natureza


Rodolfo Pamplona Filho 

Quando as cores da aquarela
Se tornarem uma só
Quando a vida, então bela,
Virar fogo, virar pó

Quando o verde virar cinza
E o céu não for anil
Vida não era mais vida,
Homem-bicho será vil

Quando o sangue derramado
Escorrer por minha mão
Lembrarei que, algum dia,
Já vivi em comunhão

E era belo, e era lindo
E era tudo o meu viver:
Homem-planta, homem-flor,
Homem-homem, Homem-ser

Não sabia que havia
Vida pura e sem dor
Bicho e homem, seres iguais,
Já viveram com amor

(1990)