segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A Mulher que habita em mim


Rodolfo Pamplona 

A Mulher que habita em mim
nunca teve medo
de andar sozinha
em uma rua escura

A Mulher que habita em mim
não ficou horas deitada
chorando
com cólica menstrual

A Mulher que habita em mim
nunca precisou sorrir
diante de um gracejo
ou cantada agressiva

 A Mulher que habita em mim
não precisa provar
que consegue trabalhar mais
e melhor, "apesar de ser mulher".

A Mulher que habita em mim
nunca se sentiu agredida
com um olhar,
uma palavra
 ou um gesto de condescendência.

A Mulher que habita em mim
é insensível.

A Mulher que habita em mim
é um homem.


27 de dezembro de 2016, em direção a Ilhéus.

4 comentários:

  1. Quando leio este poema , eu me vejo do outro lado d espelho e la existe um homem e ele é um bocado insensivel.Metade de mim é mulher; a outra metade , um homem e ele nao lacrimeja, apenas aprendeu a chorar por dentro.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir