sábado, 20 de setembro de 2014

CARTA QUE O APRESENTADOR FLAVIO CAVALCANTI (1923-1986) ESCREVEU A SEU NETO

CARTA QUE O APRESENTADOR FLAVIO CAVALCANTI (1923-1986) ESCREVEU A SEU NETO

Uma velha carta, tão atual, que a validade não vence nunca...

Meu neto:

Pelo que você já me disse com o seu sotaque de anjo, percebo que você me considera uma criança grandona e desajeitada, e me acha, mesmo assim, seu melhor companheiro de brinquedos.
Pena que tenhamos tão pouco tempo para brincar, tão pouco porque só sei brincar de passado, e você só sabe brincar de futuro.
E ainda estarei brincando de recordação quando você começar a brincar de esperança.
Mas antes que termine o nosso recreio juntos, antes que eu me torne apenas um retrato na parede, uma referência do meu genro, ou quem sabe até uma lágrima de minha filha, quero lhe dizer meu neto, que vale a pena.
Vale a pena crescer e estudar.
Vale a pena conhecer pessoas, ter namoradas, sofrer ingratidões, chorar algumas decepções.
E, a despeito de tudo isso, ir renovando todos os dias a sua fé e a bondade essencial da criatura humana, e o seu deslumbramento diante da vida.
Vale a pena verificar que não há trabalho que não traga sua recompensa; que não há livro que não traga ensinamentos; que os amigos têm mais para dar que os inimigos para tirar; que se formos bons observadores, aprenderemos tanto com a obra do sábio quanto com a vida do ignorante.
Vale a pena casar e ter filhos. Filhos, que nos escravizaram com o seu amor.
Vale a pena viver nesses assombrosos tempos modernos, em que milagres acontecem ao virar de um botão; em que se pode telefonar da Terra para a Lua; lançar sondas espaciais, máquinas pensantes à fronteira de outros mundos, e descobrir na humildade que toda essa maravilha tecnológica não consegue, entretanto, atrasar ou adiantar um segundo sequer a chegada da primavera.
Vale a pena, meu neto, mesmo quando você descobrir que tudo isso que estou tentando ensinar é de pouca valia, porque a teoria não substitui a prática, e cada um tem que aprender por si mesmo que o fogo queima, que o vinagre amarga, que o espinho fere, e que o pessimismo não resolve nada.
Vale a pena, até mesmo, envelhecer como eu e ter um neto como você, que me devolveu a infância.
Vale a pena, ainda que eu parta cedo e a sua lembrança de mim se torne vaga.
Mas, quando os outros disserem coisas boas de seus avós, quero que você diga de mim, simplesmente isso:
“Meu avô foi aquele que me disse que valia a pena. E não é que ele tinha razão?!”


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Bom dia, flores do dia! (Soneto)

Bom dia, flores do dia! (Soneto)

Rodolfo Pamplona Filho
Como é bom celebrar
a chegada de um novo dia,
sem esconder a alegria
de os amigos reencontrar!

É maravilhoso ter o prazer
de, a cada manhã, saudar
aqueles que saem para trabalhar,
estudar ou simplesmente viver

Se houve tristeza no dia anterior,
pense apenas que já passou,
pois todo mal se esvazia

quando um sorriso ilumina a face
e a frase mais linda nasce:
"Bom dia, flores do dia!"


Guayaquil, 01 de outubro de 2013.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

ARTIGOS 439, 440 E 441 DA CLT



ARTIGOS 439, 440 E 441 DA CLT

Caros empregadores ou empresários
É lícito ao menor
Segundo nos diz o legislador
Firmar recibo pelo pagamento dos salários

Tratando-se, porém, de rescisão do contrato de trabalho minha querida
É vedado ao menor de 18 anos dar
Sem assistência dos seus responsáveis legais, é bom frisar
Quitação ao empregador pelo recebimento da indenização que lhe for devida

Dispõe a Consolidação
Que contra os menores de 18 anos
Incapazes seres humanos
Não corre nenhum prazo de prescrição

O quadro a que se refere o item I do então
Artigo 405 será revisto bienalmente
É o que está explicitamente
Disposto na nossa Consolidação.

JORGE DA ROSA




quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Desprezo

Desprezo

Rodolfo Pamplona Filho
Eu desprezo quem se acha
a palmatória do universo
e que acha que o destino
de não despertar sua simpatia
seja a pura exclusão,
não por sua gratuita perseguição,
mas pela consequência
dos próprios atos
em um contexto maior...

Para este tipo de monstro,
nada mais desejo
do que o tempo,
pois as voltas do mundo
cobrarão o preco
da banalização
do litígio que tem
ajudado a promover!

Abomino todos aqueles
que erigem a si próprios
como referências morais,
em um mundo que deveria
respeitar o diferente,
combater a ditadura
do pensamento único
e admitir que nem sempre
a certeza está em nosso umbigo.


Guayaquil, 01 de outubro de 2013, pensando em lições aprendidas no passado remoto e recente...

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Palavras soltas na mente


Palavras soltas na mente

Depois do café e o estudo
Veio a insônia que me disse quase tudo
Mentalmente as palavras vinham soltas no ar
Vontade de traçá-las em poesia, mas o cansaço não me deixava levantar

Pensamentos profundos
Me mostravam um pouco dos meus mundos
Era o mundo do passado, do presente e o que poderia vir a ser
Reflexões profundas que nos fazem crescer

Toda evolução do nosso ser
Faz desaparecer
Toda aquele medo de mudar
Apesar de não querer daquele jeito continuar

Mudanças nem sempre são bem vindas
A menos que sejam reflexo de muita razão
Apesar de gostosa a emoção
Elas não podem ser utilizadas sempre em nossas idas e vindas

Não deve haver dogmas em nós
Devemos estar sempre dispostos a mudar
E para mudar, tem que saber se adaptar
Pois caso contrário, estaremos aptos a viver apenas a sós

O mundo não é feito somente daquilo que a gente quer
Apesar de ter tudo o que nos faz mulher
Daí a sabedoria de prestar sempre atenção
Antes de dizer um não

O que ontem não era bom pra mim
Amanhã posso fazê-lo gostoso sim
Já que no outro dia o meu desejo
Pode ir muito além do que aquele beijo

Dificilmente aquilo que é tanto esperado
Nos satisfaz de bom grado
Tudo tem validade
E o amor não fica preso na vaidade

Devemos olhar para trás apenas pra lembrar
Daqueles que nos nossos corações merecem ficar
Àquilo que se fez sombra no olhar
O melhor é apagar

A felicidade não está na mentira
E nem mesmo na mais linda poesia
A alegria tem que estar em nossa mira
Pois não vale a pena nenhuma fantasia

Viva a realidade
Pois só ela cabe na nossa idade
Conto de fadas já se passou
E com esse tempo nada voltou
 Vanessa Bacilieri <vanessabacilieri@hotmail.com>
Data: 3 de agosto de 2012

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O Busto de Jayne Mansfield

O Busto de Jayne Mansfield

Rodolfo Pamplona Filho
É difícil imaginar
como a gravidade era vencida
sem qualquer ajuda médica
ou artificialidade...
No máximo, um creme
ou alguma maquiagem,
mas nada comparável
ao aparato hoje existente
e que não consegue
o mesmo resultado
São muito mais do que seios:
Colossos
Turbinas
Faróis
Jayne Mansfield Forever...


Guayaquil, 02 de outubro de 2013, em um divertido jantar com amigos da ANDT.

domingo, 14 de setembro de 2014

ESTATIZADO

ESTATIZADO

Fui estatizado!
Sou só ofício
sou só jurisdição
sou só trabalho.
Não tenho amigos
nem ambição.
Sou só despacho
sou inquirição
não tenho família
nem filhos.
Sou só sentença
sou só tarefa
não tenho tempo
para amizades
nem diversão.
Meu subsídio
comprou minh'alma
e paga o aluguel

dessa prisão.

mirandamendes [mirandamendes@uol.com.br]