terça-feira, 20 de março de 2012

Soneto de todos os Lados

Soneto de todos os Lados

Rodolfo Pamplona Filho

Para cada laço,
sinto dar novo passo,
pois, para onde olho,
eu realmente me consolo

já que vejo intenso
que quero todos seus lados:
do mais sério e denso
ao mais leve e engraçado;

do mais lírico e poético
ao mais gostoso e safado;
do mais maduro e ponderado

ao mais adolescente e revoltado...
Quero te ter por todos os lados
e nunca mais me sentir abandonado.

Salvador, 14 de agosto de 2011.

8 comentários:

  1. Cynara F. A. Silva20 de março de 2012 21:17

    Dr Rodolfo,

    Aí vai minha poesia para o "Dia das Mães/2012":

    Ninho de Mãe

    O que faço com esse amor
    Que explode no meu peito
    Que de alguma forma ou jeito
    Começa a derramar?

    É um amor tão importante...
    É até impressionante!
    E mesmo estando distante
    Nunca há de se acabar.

    É amor de mãe para filhos,
    Que nasce no meio de um ninho
    E mais que rapidinho
    Começa a aumentar.

    Vai crescendo
    E cresce tanto,
    Que num pulo vira um tanto
    Impossível de contar!

    Cynara Araújo 10.03.12

    ResponderExcluir
  2. Já este poema eu gostei. :)

    Você ainda tem salvação.

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente lindo e perfeito. Não ficam palavras suficientes para descrever o quanto de sentimento têm estas palavras tão singelas e profundas.
    Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo!
      Fico muito feliz em saber que gostou do texto!
      Ele foi escrito com muito carinho...
      Abs,
      RPF

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Layanna!
      Muito obrigado pelo seu carinho!
      Abraços,
      RPF

      Excluir