quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Vocação Hereditária

Vocação Hereditária

Rodolfo Pamplona Filho
Quem será
que receberá
o legado da minha vida?
A quem será
finalmente destinada
a herança da minha sina?
Será que o que fiz,
tenho visto, lutado
e conquistei
terá alguma valia
ou algum significado
para quem não sei?
Imaginar haver sentido
em uma vocação necessária
é dar um prestígio indevido
a uma mera linha hereditária.
Acreditar na Legitima
é não perceber que
se é inocente vítima
de uma fazer sem querer...
O melhor, sem dúvida,
é que tudo o que sou
fique apenas na memória
e no coração
de quem me amou
e tudo mais que conquistei,
se eu mesmo não destinei,
que seja distribuído a quem
não teve a sorte que eu dei...

Salvador, 18 de janeiro de 2012.

5 comentários:

  1. A gente nunca pára pra pensar sobre isso. Sem dúvidas, é uma bela reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natália!

      Escrevi isso quando estava escrevendo meu livro sobre sucessões!
      Foi uma reflexão que me pareceu necessária até mesmo para compreender bem o tema!
      Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos,

      RPF

      Excluir
  2. Verdade, verdade, que sempre o reconhecimento de quem fomos nos traz o conforto de que, por um segundo que seja, devemos ter feito algo certo, bom, merecedor de ser lembrado...Pós-morte, acho que não deve haver maior riqueza ser lembrado com essa firmeza, de que deixamos essa lição por nossos atos e atitudes...Legitimamente vitimados por nossos atos e paixões...
    Nem preciso dizer, o quanto gosto de te ler né??? Bjsss, obrigada por compartilhar!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carla!

      Que bom reencontrá-la aqui no blog!
      Fico imensamente feliz em saber que a mensagem deste poema chegou tão clara para você!
      Apareça sempre!
      Beijos,

      RPF

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir