segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O que posso te oferecer...

O que posso te oferecer...

Rodolfo Pamplona Filho
Eu não posso te oferecer nada...

Eu não posso te oferecer
a tranqüilidade de uma relação
sem sobressaltos e sustos
ou sem um pouco de tensão...

Eu não posso te oferecer
um encontro diário e demorado,
com a construção de uma rotina
e de um canto sossegado

Eu não posso te oferecer
um casamento estável
com cara de bom-dia
e de um cumprimento amável

Eu não posso te oferecer
sequer a minha física presença,
pois o risco do contato
recomenda a minha ausência

O que posso te oferecer?

O que posso te oferecer...
é a certeza de um amor
maduro como poucos
e forte como meu calor

O que posso te oferecer...
é a adrenalina da tensão
de buscar o mais breve contato
explodindo de tesão

O que posso te oferecer...
é uma vida independente
de qualquer rótulo ou marca
que queiram colocar na gente

O que posso te oferecer...

O que posso te oferecer...
é a segurança de um abraço...
é a gostosura de um amasso...
é tê-la sempre em meus braços...

O que posso te oferecer...
é a risada da travessura
é a palavra amiga na angústia
é a cumplicidade na loucura

O que posso te oferecer...
é minha presença espiritual:
não tirarei você da minha vida,
nunca mais me sentirei mal...

O que posso te oferecer...
é suprir toda carência
é conhecer além da casca
é tudo que sou na essência.

Salvador, madrugada de 03 de outubro de 2010.

8 comentários:

  1. Um dia ainda quero chegar lá. Mas tem horas que vejo meu sonho distante.

    Seu blog me deu forças.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Anônimo
    Fico feliz em ter ajudado...
    Abs,
    RPF

    ResponderExcluir
  3. Amei suas palavras!!! Engraçado... consegui identificar nelas o momento em que estou vivendo.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Anônimo

    A beleza de brincar poeticamente com as palavras está em poder identificar sentimentos mesmo sem vivê-los...
    Espero ter ajudado...
    Abs,

    RPF

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Acho q esse poema fala de amores, paixoes às escuras.O desejo é instigante, lindo, da novo gas à vida, etc., mas, fora da lei, acabara com um gosto de fel n final. Nao vale a pena tdo o prazer q causa se o seu preco sera dor cobrada em dobrado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um caminho para uma interpretação possível...

      Excluir