quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Qual a sua definição de poesia? Ousando complementar Leminsky, para cumprir uma promessa...

Qual a sua definição de poesia?
(ousando complementar Leminsky...)

POESIA:
“words set to music”(Dante via Pound),
“uma viagem ao desconhecido” (Maiakóvski),
“cernes e medulas” (Ezra Pound),
“a fala do infalável” (Goethe),
“linguagem voltada para a sua própria materialidade” (Jakobson),
“permanente hesitação entre som e sentido” (Paul Valery),
“fundação do ser mediante a palavra” (Heidegger),
“a religião original da humanidade” (Novalis),
“as melhores palavras na melhor ordem” (Coleridge),
“emoção relembrada na tranqüilidade” (Wordsworth),
“ciência e paixão” (Alfred de Vigny),
“se faz com palavras, não com idéias” (Mallarmé),
“música que se faz com idéias” (Ricardo Reis/Fernando Pessoa),
“um fingimento deveras” (Fernando Pessoa),
“criticismo of life” (Mathew Arnold),
“palavra-coisa” (Sartre),
“linguagem em estado de pureza selvagem” (Octavio Paz),
“poetry is to inspire” (Bob Dylan),
“design de linguagem” (Décio Pignatari),
“lo impossible hecho possible” (Garcia Lorca),
“aquilo que se perde na tradução (Robert Frost),
“a liberdade da minha linguagem” (Paulo Leminski)...
"Meu coração fora do peito" (Fernanda Carvalho Leão Barretto)
"Porque tu sabes que é de poesia minha vida secreta" (Hilda Hilst)
"minha vida predileta, como um baile (espetáculo de música [melodia] somado à dança [marcações]) das palavras, em linhas, a encenar os mais íntimos sentimentos do poeta ou dos que ele capta da sua infinita platéia!" (Amanda de Almeida Santos)
"A essência da alma em palavras" (Rodolfo Pamplona Filho)
"Verdade indo a um baile de carnaval..." (Yumi Kanzaki)
"A chave-mestra que abre caminho para o despertar dos mais diversos sentimentos e sensações... " (Leiliane Aguiar)

Fique à vontade para mandar a sua...

13 comentários:

  1. A poesia nos liberta, através dela podemos expressar nosso sentimento mais profundo, sem ferir ninguém e tocando a quem se permitir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, cunhada!
      É a mais pura verdade...
      Beijos saudosos,

      RPF

      Excluir
  2. Prezados leitores

    Farei novamente o que fiz ano passado!
    Repetirei este texto daqui a exatamente um ano e todos aqueles que colocarem aqui a sua definição de poesia eu insirei no texto do ano que vem!
    Aguardemos!
    Beijos e abraços a todos,

    RPF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poesia pode ser: Arte, Arti (Artifício) do Estelionato, Art. 171 - Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

      Depende de como se vê e se vive... e do dolo de quem poetisa.


      12/XII/2012

      Excluir
    2. Prezado anônimo
      Se você quiser se identificar, colocarei esta sua definição (cruel) de poesia na página daqui s um ano, sem problemas, já que cada um encara a arte (ou o artifício) como a vê, sente ou vive!
      Abs,
      RPF

      Excluir
    3. A crueldade permeia certas realidades, infelizmente. E, por isso a importância da questão.
      Todos os crimes tipificados na legislação penal, e não apenas o estelionato, podem ser poéticos. Tal percepção é um tanto dificultosa, pois os danos são, por vezes, invisíveis e de análise restrita à esfera psicossocial, bem como, pela ótica uníssona e fantasiosa que temos da poesia.
      A priori, não imaginamos que almas, vidas são ceifadas, sentimentos mutilados, mentes eternamente traumatizadas, através e sob o pretexto de um exercício livre e irresponsável de poetização.
      Contudo, a responsabilidade poética e, portanto sentimental, parece ecoar, tão somente, na voz do pequeno príncipe Saint-Exupéry, já tão banalizada, numa patente impunidade levando a perpetuação de crueldades.
      Para o senhor, doutor e professor de direito civil, certamente, não é mais novidade falar de função social da propriedade, mitigando-se o caráter individualista do Instituto.
      Na condição de poeta, de leitores, cabe a todos nós repensarmos a forma como se encara, vê, sente ou vive a poesia e sua função no convívio social e nas nossas relações pessoais. Imprescindível se faz quebrarmos certos paradigmas, ultrapassarmos a visão cartesiana, para uma visão sistêmica.
      Definições são variáveis, talvez cruéis e injustas, pela comparação e limitação inevitáveis. No caso da poesia, a definição, para alguns, vai ser resultado apenas de suas próprias concepções, para outros, da conduta do Poeta. Vai depender do caso concreto, do que se viu, do que sentiu, do que se viveu.

      13/XII/2012

      Excluir
    4. Poxa, nunca pensei sob esta ótica...
      Vou refletir...
      Abraços,
      RPF

      Excluir
  3. Desculpe RPF escrevi os comentários acima e me arrependi, tentei apagar e não consegui! Não combina nem com o blog, nem com o Poeta, nem com os leitores daqui!
    Na verdade escrevi pensando em Direito, e transportei minha revolta para Poesia!
    Poderia apagar para mim, por favor?
    Desde já agradeço.
    Abraços

    14/XII/2012

    ResponderExcluir
  4. Para mim poesia é verdade e não apenas mera embalagem.

    Abraços,

    Lúcio Silva

    ResponderExcluir
  5. Dizendo melhor:

    Poesia é verdade dita de forma elegante.

    Mais abraços,

    Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito!
      Vou inserir no post que entrará no ar daqui a um ano...
      Aguardemos...
      Abraços,

      RPF

      Excluir