sábado, 28 de janeiro de 2017

Para onde vão as palavras de amor não ditas?...


Zack Magiezi

Para onde vão as palavras de amor não ditas?
Esquecidas em orfanatos por serem precoces demais

Envelhecidas em asilos..
por terem enrugado e perdido a independência

Amarradas em camisa de força
por serem insanas e incontroláveis

Suplicando nas sarjetas 
por precisarem de ajuda

Nas fotos dos desaparecidos
por um dia ter virado saudade

Se por ventura elas forem vistas por ai
diga que sinto fala.
sinto muita falta.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Aperfeiçoar


Rodolfo Pamplona Filho

Aperfeiçoar é estar ​
sempre disposto
a começar de novo.
Aperfeiçoar é estar ​
pronto para recomeçar ​
tudo do zero
Aperfeiçoar é estar ​
novamente a postos ​
para aprender
Aperfeiçoar é muito mais ​
do que repetir a mesma ideia
com palavras diferentes.
Aperfeiçoar é viver
cada momento ​
como se fosse o primeiro
com a pureza virginal ​
de uma página em branco,
sem desprezar ​
o que já foi escrito,
mas não se influenciando ​
pelos erros do passado,
nem tendo medo de seguir ​
por um novo caminho.

No vôo para Campinas/SP, 01 de abril de 2016.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

CRÔNICA ENGRAÇADA



Luis Fernando Veríssimo


Minha mulher e eu temos o segredo para fazer um casamento durar:

Duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras e eu, às quintas.

Nós também dormimos em camas separadas: a dela é em Fortaleza e a minha, em SP.

Eu levo minha mulher a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta.

Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento, “em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!” ela disse. Então, sugeri a cozinha.

Nós sempre andamos de mãos dadas…Se eu soltar, ela vai às compras!

Ela tem um liquidificador, uma torradeira e uma máquina de fazer pão, tudo elétrico. Então, ela disse: “nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar”. Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.

Lembrem-se: o casamento é a causa número 1 para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento.

Eu me casei com a “senhora certa”. Só não sabia que o primeiro nome dela era “sempre”.

Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.

Mas, tenho que admitir: a nossa última briga foi culpa minha.

Ela perguntou: “O que tem na TV?”

E eu disse: “Poeira”.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Cinco Minutos



Cinco Minutos
(discurso como Patrono dos Formandos em Direito da UFBA 2016.1)
Rodolfo Pamplona Filho

O que se faz em cinco minutos?
Para quem espera, parecem muitos...
Para quem fala, parece nada,
pois toda oportunidade é joia rara
para poder passar uma mensagem
a quem se propõe a uma viagem
de conhecimento da vida profissional.

E, por isso, não me levem a mal
se eu, cumprindo o esquema,
resolver fazer um poema
sobre o que se fazer
quando se tem que escolher
cada palavra ou sentimento
para cumprir rigorosamente o tempo.

Em cinco minutos, tudo é possível,
desde que, com disciplina incrível,
consiga-se condensar
tudo que se quer manifestar.

Usarei cinco minutos, de verdade,
para, agradecido, falar nesta solenidade
e, para não ser chato ou cansativo,
serei extremamente objetivo.

Fui honrosamente galardeado
com o convite que me foi dado
de ser Patrono, com louvor,
de uma turma de que não fui professor.

E estou muito bem acompanhado
pois o Corpo Docente pranteado
é uma verdadeira constelação
que merece expressão menção:

O Paraninfo que encabeça o plantel
é o encantador Fabiano Pimentel,
que está acima do Bem e do Mal,
pois ensina Processo Penal.

E os demais professores homenageados
merecem ser sempre lembrados,
dominando, cada um, a sua arte,
na Sua graduação, fazendo parte.

Meu eterno colega e administrativista
é também um excelente guitarrista,
meu velho amigo Durval,
que exerce a magistratura federal,
tal qual um ex-aluno e hoje parceiro,
indiscutível bom companheiro,
o Professor Fábio Roque,
sempre pronto para dar um toque,
assim como outro cidadão idôneo,
o grande tributarista Helcônio.

Nosso Presidente também é um Astro:
o diligente Diretor Celso Castro,
que transferiu a autoridade da regência
para nossa colega de docência,
Isabela Fadul de Oliveira,
minha colega desde o Antônio Vieira!

O secretário dessa sessão
é um funcionário da coordenação,
Senna, que também já foi cantor,
antes de se tornar servidor.

Completam essa seleção
Suzane, da Coordenação,
e, da Biblioteca, Marivaldo Santana,
gente boa, que honra essa fama.

Mas não posso extrapolar a duração
da proposta desse discurso diminuto,
que é conseguir a proeza e a satisfação
de fazer tudo sem passar um minuto.

Em cinco minutos, cozinha-se um ovo,
descobre-se algo novo,
prepara-se o macarrão
ou perde-se a condução.

Em cinco minutos, pode-se fazer diferença,
independentemente de qualquer crença,
pois tudo pode acontecer
quando se dedica para valer...

Em cinco minutos, pode-se virar um jogo,
pode-se salvar alguém do fogo,
pode ser o momento da despedida
ou ser tudo que resta da vida.

Em cinco minutos, apaixona-se à primeira vista,

desenvolve-se a arte da conquista,
clama-se a Deus com todo o coração
ou, em um debate, perde-se a razão.

Por cinco minutos, atrasa-se para uma entrevista,
apaga-se, na perícia, uma pista,
dá para passar um bife no alho
ou tomar revelia na Justiça do Trabalho.

Cinco minutos é mais do que suficiente
para quem decide ser diferente,
para beijar seu filho no começo do dia
ou um sorriso iluminar uma alma vazia.

Em cinco minutos, arrumo-me para um compromisso
- claro que, para as mulheres – não se aplica isto! –
escrevo um soneto, ouço uma canção,
vejo o canal pamplona ou faço uma oração.

Em cinco minutos, tira-se uma soneca,
devolve-se um livro na biblioteca,
desiste-se de uma prova,
cava-se até mesmo a própria cova.

Em cinco minutos, mesmo sendo um instante,
cochila-se em uma aula maçante,
confere-se um gabarito,
vai-se do sussurro ao grito...

Em menos de cinco minutos, fiz este discurso
e vocês coroaram o seu curso.
Em menos de cinco minutos, pronunciei-me para celebrar sua vitória
e vocês passaram a fazer parte da minha história.



Declamado em 06 de janeiro de 2017,
na Reitoria da Universidade Federal da Bahia, em Salvador/BA

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Encontro


Joana Ferraz

Desde a primeira vez que ganhei aquele abraço, eu sabia. Sabia que iria precisar dele mais vezes, que sentiria de longe a lembrança do momento me encostando.  Foi na varanda, ao vento das árvores grandes que cercam o primeiro rio. O rio que por causa dele estou aqui, estávamos ali. E há muito imaginava o momento, pintando cenas no corpo do desejo. Quais cores fariam presença? Espiei o quarto, vi as telas, achei estranhas. Ou não entendi muito bem. Deve ser porque o sorriso doce também traz confusão. “Agora te conheço mais”.  Depois as mãos pesadas me seguraram as costas e o abraço tocou todas as partes do meu corpo. Era como se estivesse em uma torre cercada de lua e de nada, onde ao longe eu via a mesma cena comum das minhas janelas.  Minha cidade então se transformou num sítio gigante, vazio e afastado, porque o beijo era bom. Porque a língua brincou nas esquinas da minha boca e a vontade reencontrou as florestas que já existiram.

O vestido solto só podia ser de propósito, a roupa desses encontros são as peles.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Poder


Rodolfo Pamplona Filho 

Qual é o sentido ​
de conseguir fazer ​
além do que ​
se imagina ter?
Qual é o significado ​
de não haver pecado​
em falar o que pensa ​
sem limites de crença?
Qual é o alcance​
de ditar o lance​
do que se vai respeitar ​
sem espaço para mudar?
Talvez o cumprimento de um dever...​
Talvez o exercício de um prazer...​
Talvez a força que move o ser...​
Talvez simplesmente o poder...


Salvador, madrugada de 26 de abril de 2016.

domingo, 22 de janeiro de 2017

Se Todos Fossem Iguais A Você



Tom Jobim

Vai tua vida

Teu caminho é de paz e amor

A tua vida

É uma linda canção de amor

Abre os teus braços e canta

A última esperança

A esperança divina

De amar em paz


Se todos fossem

Iguais a você

Que maravilha viver

Uma canção pelo ar

Uma mulher a cantar

Uma cidade a cantar, a sorrir, a cantar, a pedir

A beleza de amar

Como o sol, como a flor, como a luz

Amar sem mentir, nem sofrer


Existiria a verdade

Verdade que ninguém vê

Se todos fossem no mundo iguais a você