sábado, 17 de junho de 2017

Amor e Posse


Rodolfo Pamplona Filho

Amo você inteiro
Amo você por inteiro
Só odeio quando me faz
lembrar que não é meu...
Mas alguém é dono do outro?
Ninguém é dono de ninguém
Então por que o dilema
entre o amor e a posse?
Se as teorias são corretas,
por que não consigo agir assim?
Tão utópico esse amor
Tão lindo esse amor
É tão maravilhoso amar,
mas, ao mesmo tempo,
é tão ridículo ficar preso a alguém...
Há uma coação social
acima do amor..
Há uma caixa castradora
que poucos conseguem destrancar
Seja Karenina ou Beauvoir,
é possível descobrir novas formas de amar...
Se você amar alguém,
deixe-o livre...
E quando não for feliz no sistema,
subverta-o
ou liberte-se dele.

Salvador, 16 de maio de 2017.                       



sexta-feira, 16 de junho de 2017

O valor da coisas não está no tempo que elas duram


Fernando Pessoa 

“O valor da coisas 
não está no tempo que elas duram,
 mas na intensidade com que elas acontecem. 
Por isso existem momentos inesquecíveis, 
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis”.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Teorias


Rodolfo Pamplona Filho
Teorias são,
na verdade,
uma simplificação
da realidade


Salvador, 15 de janeiro de 2013.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Coração e inteligência devem voltar a se falar.



Alain Finkielkraut

"Coração e inteligência 
devem voltar a se falar.
O perigo que corremos não 
está na falta completa de um ou da outra, 
mas em seu divórcio: se coração e
inteligência vão cada um
por um lado, os efeitos
 são devastadores".


terça-feira, 13 de junho de 2017

Paralaxe



Rodolfo Pamplona Filho
Enxergar tudo
sob o ponto de vista alheio.
Cada um vê algo
que os demais sequer percebem...
Usar os olhos não dói.
Sentir a dor do outro, sim.

Praia do Forte, 26 de março de 2013.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Adoro Reticências…



Nilson Furtado 

“Adoro Reticências… Aqueles três pontos  intermitentes que insistem em dizer que nada está  fechado, que nada acabou, que algo sempre está  por vir! A vida se faz assim! Nada pronto, nada  definido. Tudo sempre em construção. Tudo ainda  por se dizer… Nascendo… Brotando…  Sublimando… Vivo assim… Numa eterna  reticência… Para que colocar ponto final? O que  seria de nós sem a expectativa de continuação?

domingo, 11 de junho de 2017

Calma...


Rodolfo Pamplona Filho

A imaturidade demora para ser curada.
Há quem nunca se cure...
A esperança persevera sobre a experiência
Há quem nunca aprenda...
O processo é desgastante
e pode sempre piorar...
A tristeza parece infinita
e não se vê luzes no horizonte...
Quando a solução parece passar
pelo afastamento total e irrestrito
é hora de falar para dentro:
Calma...

Salvador, madrugada de 03 de maio de 2017.