sábado, 21 de janeiro de 2017

Cantilena plena e planos


Beto Marfuz 
Perfil extrato do poeta 
Vai poeta, vai. 
Perfeito na sensibilidade 
Emocional ser e alma 
Tradutor musical em sons 
Cabeçalho cantilena no ar 
Vai poeta solta sua voz 
Canta sua alma 
Assume decidido sua trilha 
Destrave em parabéns  
o seu cantar. 
Canta canta sua alma 
livra seu corpo das algemas 
Liberta sua formalidades 
Seus direitos e seus atos 
Legítimo só a sua felicidade 
Nada mais importa 
somente sua voz cantar 
Digno dotar o tempo assim 
Mesmo que lei e toda fé 
Permaneçam inabaláveis 
inefável e eternamente latente no fundo do fundo.  
Vai poeta cantor, vai. 
O tudo, o todo e todos 
A vida e os compassos 
Concedem, concebem quiálteras e quiálteras. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Direito Animal


Rodolfo Pamplona Filho

Animal ​
é quem respira ​
é quem sente​
é quem luta​
contra o mal

Animal​
é quem grita​
é quem sofre​
é quem ousa​
transcendental

Animal​
é quem chora​
é quem goza​
é quem morre​
no derradeiro final.

Animal​
Ânima, Alma​
Senciência​
Ser Ciência

Animal ​
Animal...​
sou eu, é você​
somos todos nós!

Praia do Forte, 24 de abril de 2016.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Eh no calor da melodia ​



Rodolfo Pamplona Filho​

Que  quero apresentar ​
A banda Crooners in concert ​
que veio para ficar, ​
Rodolfo Pamplona Filho​
Canta uma moda diferente e a ele ofereço uma estrofe do repente.
É no calor da melodia ​
Vou falar da bateria ​
Que toca todas as moda​
Com o coração a mil. ​
Mando aqui o meu abraço ​
pro batera Cássio Brasil .
Para fazer mais uma rima ​
Só tem gente afiada​
Cantam com o coração ​
Não precisam de mais nada, ​
eu aqui quero saudar ​
o Adelmo  da guitarra.
Uma banda em unidade ​
Com o coração nas cordas ​
Deixo aqui o meu recado​
Ele toca todas as modas ​
E não vence pelo cansaço ​
To falando desse cara, ​
o Fábio do contrabaixo!
Pra finalizar a brincadeira ​
deixe eu me apresentar ​
Sou Camila Nogueira ​
paraibana de rachar. ​
Quero ir para um show ​
pra ouvir vocês tocar .

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Ausente



Joana Ferraz 

Os sorrisos que me provocas
Parecem eternos.
Como eu queria, meu amor,
Que pudesses ver
Que os sorrisos trazem outros sorrisos
Por lembrar, por te ter.

E se visses meu dia
Em tua companhia
Quase dou a mão, quase olho pro lado
Suspiro. Saudade.

Sente. Dá pra sentir. Ausente?
Quando estás
Os meus olhos sempre dizem:
Vais ficar.

https://trazumverso.com/

domingo, 15 de janeiro de 2017

Cuidado com a Poesia


Rodolfo Pamplona Filho 


A poesia, quando nasce,
tira o sono, arranca os pijamas
e impede a paz

A poesia, quando surge,
arrebata, rasga as roupas
e sobe à superfície

A poesia, quando cresce,
empodera, toma o corpo
e preenche a alma

A poesia, quando domina,
seduz, induz a pensar
e muda o mundo.



27 de dezembro de 2016, em direção a Ilhéus, pensado, inspirado e dedicado a Ferreira Gullar.