sábado, 25 de janeiro de 2014

RECEITA PARA LAVAR PALAVRA SUJA


RECEITA PARA LAVAR PALAVRA SUJA
Viviane Mosé

Mergulhar a palavra suja em água sanitária.
depois de dois dias de molho, quarar ao sol do meio dia.
Algumas palavras quando alvejadas ao sol
adquirem consistência de certeza. Por exemplo a palavra vida.

Existem outras, e a palavra amor é uma delas,
que são muito encardidas pelo uso, o que recomenda esfregar e bater insistentemente na pedra, depois enxaguar em água corrente.

São poucas as que resistem a esses cuidados, mas existem aquelas.
Dizem que limão e sal tira sujeira difícil, mas nada.
Toda tentativa de lavar a piedade foi sempre em vão.

Agora nunca vi palavra tão suja como perda.
Perda e morte na medida em que são alvejadas
soltam um líquido corrosivo, que atende pelo nome de amargura,que é capaz de esvaziar o vigor da língua.

O aconselhado nesse caso é mantê-las sempre de molho
em um amaciante de boa qualidade . Agora, se o que você quer é somente aliviar as palavras do uso diário, pode usar simplesmente sabão em pó e máquina de lavar.

O perigo neste caso é misturar palavras que mancham
no contato umas com as outras.
Culpa, por exemplo, a culpa mancha tudo que encontra e deve ser sempre alvejada sozinha.

Outra mistura pouco aconselhada é amizade e desejo, já que desejo, sendo uma palavra intensa, quase agressiva, pode, o que não é inevitável, esgarçar a força delicada da palavra amizade.

Já a palavra força cai bem em qualquer mistura.
Outro cuidado importante é não lavar demais as palavras
sob o risco de perderem o sentido.

A sujeirinha cotidiana, quando não é excessiva,
produz uma oleosidade que dá vigor aos sons.

Muito importante na arte de lavar palavras
é saber reconhecer uma palavra limpa.

Conviva com a palavra durante alguns dias.
Deixe que se misture e m seus gestos, que passeie
pela expressão dos seus sentidos. À noite, permita que se deite, não a seu lado mas sobre seu corpo.

Enquanto você dorme, a palavra, plantada em sua carne,
prolifera em toda sua possibilidade.

Se puder suportar essa convivência até não mais
perceber a presença dela, então você tem uma palavra limpa.

Uma palavra LIMPA é uma palavra possível.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Perdão


Perdão

Rodolfo Pamplona Filho
Me perdoa por tudo que sou?
Me perdoa por tudo que não sou?
Me perdoa por tudo que faço?
Me perdoa por tudo que não faço?
Me perdoa por te pedir perdão?
Sei que não preciso perdão...
Sei que não preciso pedir perdão...
Mas a tristeza que me toma
na constatação da minha imobilidade
faz com que eu somente consiga
dizer e mil vezes repetir:
Me perdoa?

Salvador, 31 de julho de 2012.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

RECEITA DE ANO NOVO



RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Amor que fala e ouve...


Amor que fala e ouve...

Meu amor por você fala e ouve...
Fala mais do que ouve...
Meu amor por você fala,
mesmo quando está calado...
Meu amor por você fala...
... por toda a poesia que você me inspira...
... em cada palavra, cada risada...
.... em cada lágrima ou sorriso....
Meu amor por você ouve,
mesmo quando nem sequer respira...
Meu amor por você ouve...
... mais do que todas as músicas de Caetano...
... melhor do que rima ou construção frasal...
... em cada som e em cada silêncio e 
Eu desejo sua voz e seu ouvido...
Eu desejo sua boca e sua atenção...
Eu desejo o seu corpo
como nunca desejei outro corpo...
mas eu não preciso sequer te ver
para te amar...
Eu preciso apenas saber
que você existe
e que me ama
para a felicidade tomar
conta da minha existência...
E é essa amor que se renova
a cada discussão de relacionamento
ou quando passa por um tormento
que eu nunca vou abrir mão
por coerência do coração...
Eu quero ver você sorrir
e nunca pensar em partir...
E que vá embora toda tristeza,
pois nosso amor é de cama e mesa
em toda canção e em toda dança,
vivendo sempre a esperança
de que se encontrou um amor de verdade
e que isso é a mais pura realidade...

Beatriz A.M.
08/08/2012

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Mundo Novo


Mundo Novo

Rodolfo Pamplona Filho
Em breve, passará o tempo rude
que trouxe esta seca maldita
que esvaziou o velho açude
e meu gosto pela vida...
(verei um Mundo Novo diferente...)

E a lágrima involuntária
virará chuva abundante...
E a alma solitária
sorrirá leve e confiante
(verei um Mundo Novo diferente...)

de que o verde inundará
o cinza que enfeiava o horizonte,
pois o gado vai engordar
e os cavalos beberão na fonte
(verei um Mundo Novo diferente...)

onde nadou o pequeno churueiro,
no tempos de Padre Nicanô,
coroinha e menino arteiro,
orgulho de seu avô...
(verei um Mundo Novo diferente...)

A brisa da tarde vai retornar
e apaziguar o calor fervente...
minha terra será sempre meu lar
e seu povo a minha gente
(verei um Mundo Novo diferente...)

Quando a esperança virar realidade
e for embora toda saudade,
verei rodas de samba com alegria
tocando até o raiar do dia...
(verei um Mundo Novo diferente...)

Quando o suspiro for somente
da nostalgia do que foi vivido,
e não mais da desolação impotente
do sofrimento sem sentido,
verei um Mundo Novo diferente...

Eu não quero muito cenas,
mas somente o que louvo
Eu quero, de volta, apenas
o meu Velho Mundo Novo...

Eu quero apenas de novo
o meu Velho Mundo Novo...

Salvador, 14 de janeiro de 2013.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Quero Ser Justo


Disse que vinha, e veio, lá do Norte
O mar nos olhos
Era noite sem vento e eu nem cri na minha sorte
Houve curiosidade, um calmo susto, alguma palidez
Por trás do ouro do seu rosto
Quero ser justo
Mesmo que não pudéssemos manter a lua cheia acesa
Ou não, ainda,
Nem no seu nem no meu coração
Eu vi você
Uma das coisas mais lindas da natureza
E da civilização

domingo, 19 de janeiro de 2014

Sobre eles...


Sobre eles...

Rodolfo Pamplona Filho
Dois colossos imponentes
de rara beleza e volúpia,
levemente entumecidos
pelo toque de meus dedos
ou o roçar de minha língua
deslizando em seus caminhos,
como a desbravar novas fontes,
de onde emana a seiva da vida,
que alimenta o meu desejo,
sem nunca saciá-lo,
pois a delicia de seu beijo
é o alimento de minh'alma
e que somente se acalma
com o perfume que exala
de cada poro destinatário
da minha entrega e tesão,
no verdadeiro significado
da palavra sofreguidão,
ao se entregar à minha boca,
que nunca cansará
de tocar sua pele
e sentir o seu gosto,
para descobrir o paraíso...

Salvador, 09de novembro de 2012.